sábado, 15 de novembro de 2008



Mulheres

Um garotinho perguntou à sua mãe:
- Mamãe, por que você está chorando?
E ela respondeu: Porque sou mulher...
- Mas... eu não entendo.
A mãe se inclinou para ele, abraçou-o e disse:
- Meu amor, você jamais irá entender!...
Mais tarde o menininho perguntou ao pai:
- Papai, por que mamãe às vezes chora, sem motivo?
O homem respondeu:
- Todas as mulheres sempre choram sem nenhum motivo....
Era tudo o que o pai era capaz de responder
O garotinho cresceu e se tornou um homem.
E, de vez em quando, fazia a si mesmo a pergunta:
Por que será que as mulheres choram, sem ter motivo para isso?

Certo dia esse homem se ajoelhou e perguntou a Deus:
-Senhor, diga-me... Por que as mulheres choram com tanta facilidade?
E Deus lhe disse:
- Quando eu criei a mulher, tinha de fazer algo muito especial.
Fiz seus ombros suficientemente fortes, capazes de suportar o peso
do mundo inteiro... Porém suficientemente suaves para confortá-lo!
- Dei a ela uma imensa força interior, para que pudesse suportar as
dores da maternidade e também o desprezo que muitas vezes provém
de seus próprios filhos!
- Dei-lhe a fortaleza que lhe permite continuar sempre a cuidar da sua
família, sem se queixar, apesar das enfermidades e do cansaço, até
mesmo quando outros entregam os pontos!
- Dei-lhe sensibilidade para amar seus filhos, em qualquer circunstância,
mesmo quando esses filhos a tenham magoado muito ...
Essa sensibilidade lhe permite afugentar qualquer tristeza, choro ou
sofrimento da criança, e compartilhar as ansiedades, dúvidas e medos
da adolescência!
- Porém, para que possa suportar tudo isso, Meu filho...
Eu lhe dei as lágrimas, e são exclusivamente suas, para usá-las quando
precisar. Ao derramá-las, a mulher verte em cada lágrima um
pouquinho de amor.
Essas gotas de amor desvanecem no ar e salvam a humanidade!
O homem respondeu com um profundo suspiro...
- Agora eu compreendo o sentimento de minha mãe, de minha irmã,
de minha esposa...

- Obrigado, Meu Deus, por teres criado a MULHER
Com votos de bom domingo
Nela