sábado, 29 de novembro de 2008


PRA COMEÇAR O DIA A RIR.....................

A loira e o pinguim
Uma loira acorda, chega ao quintal e depara-se
com um Pinguim. Ao mesmo tempo, olha para
o lado, vê o seu vizinho e diz:
- Já viu o que está aqui? Um pinguim!
O que é que eu faço? O vizinho responde:
- Não sei! Olhe, leve-o ao Jardim Zoológico.
No dia seguinte, o vizinho olha para a casa da
loira e vê-a a sair com o Pinguim preso com
uma coleira e pergunta:
- Então, não levou o pinguim ao Jardim Zoológico?
A loira:
- Levei.... Gostou muito! Hoje vai ao Portugal
dos Pequeninos.
<
>
CRISTO no CAFÈ (ESPECTACULAR!!!!!!!!)
>
Estavam um inglês, um alemão e um português num café
quando o Inglês diz aos outros:
>
- Esse que aí entrou é igualzinho ao Jesus Cristo
>
- Pois, pois - dizem os outros.
>
- Estou-vos a dizer. A barba, a túnica....
>
> O inglês levanta-se, dirige-se ao homem e pergunta:
>
- Tu és Jesus Cristo, não é verdade?
>
- Eu? Que ideia!
>
- Eu acho que sim. Tu és Jesus Cristo.
>
- Já disse que não. Mas fala mais baixo.
>
- Eu sei que tu és Jesus Cristo
> Tanto insiste que o homem lhe diz baixinho:
>
- Sou efectivamente Jesus Cristo mas fala baixo e não
digas a ninguém senão isto fica aqui um pandemónio.
>
- Fiz uma lesão no joelho em pequeno. Cura-me.
>
- Milagres não. Tu vais contar aos teus amigos e eu passo
a tarde a fazer milagres. O inglês tanto insiste que Jesus
Cristo põe-lhe a mão sobre o joelho e cura-o.
>
- Obrigado. Ficarei eternamente grato - agradece,
emocionado, o inglês.
>
- Sim, sim. Não grites e vai-te embora. Não contes a
ninguém.
>
O inglês, mal chegou à mesa, contou aos amigos.
O alemão
>
levantou-se logo e dirigiu-se a ele.
>
- O meu amigo disse-me que eras Jesus Cristo e que
o curaste.Tenho um olho de vidro. Cura-me.
>
- Não sou nada Jesus Cristo. Fala baixo.
>
O alemão tanto insistiu que Jesus Cristo passou-lhe a mão
pelos olhos e curou-o.
>
- Vai-te agora embora e não contes a ninguém.
>
Mas Jesus Cristo bem o viu a contar a história aos amigos e
ficou à espera de ver o português ir ter com ele.
O tempo foi passando e nada.
>
Mordido pela curiosidade dirigiu-se à mesa dos três amigos e,
pondo a mão sobre o ombro do português, começou a perguntar:
>
- E tu, não queres que.....
>
O português levanta-se de um salto, afastando-se dele:
>
- Eh, Eh, Eh, tira as mãozinhas que eu estou de baixa!!!
Com votos de 1 Santo domingo
bjs Nela