sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

SOLIDÃO

Danço eu dança você, na dança da solidão…
Quem nunca se sentiu sozinha? Não falo sobre aquela
solidão boa, a do tipo “curtir a própria companhia”, e
sim daquele sentimento ruim que vivenciamos ao
sofrer uma injustiça, após uma briga com alguém que
gostamos, o fim de um relacionamento, o afastamento
de uma amizade, ou pior; A morte de uma pessoa
querida.
º
Nessas horas o mais estranho e que nos sentimos
sozinhas ate mesmo quando rodeadas de gente.
º
Pouco importa aquelas máximas que todo mundo
sabe, e todos amam falar em momentos difíceis:
Injustiçasocorrerão diversas vezes em nossas vidas,

e com o tempo a verdade a aparece;
Relacionamentos começam e terminam todos os dias;
Amizades verdadeiras nunca acabam realmente;
Ou a máxima das máximas de consolo em vão:
“A única certeza da vida e a morte” (afffff)
º
Tudo balela!
Quando a soturna solidão teima em aparecer, tudo fica
cinza, nosso interior fica devastado, e todas essas
crenças e palavras de consolo parecem não fazer o
menor sentido.
º
Porém se for analisar mais a fundo muitas vezes este
sentimento é fruto de egoísmo combinado à falta de
amor-próprio. (Agora com certeza você, cara leitora,
deve estar pensando que eu enlouqueci de vez, não
tenho coração, e não faço idéia do que e se sentir
sozinha, mas acredite, eu posso falar sobre TODOS
os tipos de solidão mencionados anteriormente por
experiência própria)
º
Veja bem:
A solidão que sentimos é egoísta, pois muitas vezes
estamos cercadas de pessoas legais (e que se
preocupam com a gente) querendo apenas uma
oportunidade para demonstrar amizade, afeto,
carinho, mas nós, fechadas e revoltadas com a perda
“daquela pessoa” muitas vezes não nos damos ao
trabalho de olhar pro lado, e perceber que talvez a
vida seja bem maior do que um momento ruim.
º
A solidão também é falta de amor próprio, afinal às
vezes ficamos assim por nos colocarmos em posição
inferior perante as outras pessoas, acreditando que
não somos dignas da atenção alheia, não querendo
incomodar ninguém com nossos problemas, e
caindo cada vez mais na armadilha do estereótipo
de vítima do mundo.
º
Mas enfim se mesmo assim o sentimento persistir
pegue fotos, diários, cartas e lembranças antigas,
de ex amores, ex amigos, pessoas que se foram, e
perceba como na hora tudo parecia
irremediavelmente terrível e agora…
Você nem lembra mais, saudosismo pode ser
saudável nessas horas, nos faz lembrar do quanto
podemos ser fortes e da capacidade incessante que
todos nós temos de superar os dissabores da vida.
º
Passe mais tempo com as pessoas que realmente
gostam de você, os momentos felizes devem ser
aproveitados na hora, porque as lembranças
tristes nos despertam a tristeza novamente, mas
as lembranças legais não tem o poder (sabe se lá
porque…) de resgatar a felicidade que já passou.
º
Portanto aproveite a vida e não deixe a solidão te
assustar!
Beijos nela